Quarentena de oração

... não precisamos apenas sair desse lugar, mas precisamos de esperança para continuar o tempo que ainda for necessário.
  • André Saldiba
  • 03.agosto.2022

O deserto não deveria ser um lugar para ser revisitado, embora, algumas vezes, o encontramos novamente pelo caminho. Mas, enquanto sobrevivemos nesses lugares, caminhamos a procura de uma saída para nunca mais voltar. E muitas vezes somos surpreendidos ao descobrir o imprevisível durante a peregrinação. No caminho descobrimos fontes de águas que aliviam as dores, consolam as tristezas, curam as feridas e que nos fazem perceber que a nossa busca não é apenas por uma saída. Porque no deserto não precisamos fugir ou chegar, precisamos principalmente de coragem para caminhar. E no atual deserto, não precisamos apenas sair desse lugar, mas precisamos de esperança para continuar o tempo que ainda for necessário. Após tanto tempo parece que ainda não encontramos uma saída, mas já descobrimos fontes de águas da esperança que não foram construídas, mas que surgiram nos lugares e nos momentos mais inesperados. Por isso podemos continuar a peregrinação, pois no deserto existem fontes de águas da esperança!

Sobre mim

Eu sou André Saldiba, casado com Adriana, pai de Luiza e dos gêmeos, David e Isabela.

Entre 2007 e 2013, trabalhei na Igreja Batista do Morumbi, em São Paulo, nas áreas de Missões e Nova Geração, onde atuei como pastor do Núcleo.

Em 2013 passei a integrar a equipe pastoral da Igreja Batista de Água Branca, em São Paulo, onde atualmente sou Pastor Executivo e pastoreio o IBAB Jovem e o IBAB Família.

Eu sou formado em Direito, Mestre em Divindade pelo Seminário Servo de Cristo e Mestre em Filosofia pela PUC de São Paulo. Autor do livro imPERFEITOS, uma espiritualidade possível.