Pressione ENTER para ver os resultados ou ESC para cancelar.

André Saldiba André Saldiba   Publicado em 19/08/2016

LUIZA, 5 anos

Hoje é um dia especial! Minha filha mais velha comemora mais um ano de vida… e pensei qual seria o melhor presente para uma menina linda e adorável de 5 anos de idade.

Confesso que fiquei na dúvida. Pensei, pensei e arrisquei colocar em palavras o que sinto.

Hoje no dia do seu aniversário…

Não quero apenas comprar e mandar entregar um presente, por maior que seja, para que minha filha abra o embrulho rasgando todo o papel com toda sua alegria e ansiedade. Enquanto não me faço como um presente durante todos os dias além de hoje, seu aniversário.

Não quero apenas contratar uma festa para que minha filha convide seus amiguinhos e apague a vela do bolo com a boca toda suja de brigadeiro. Se não consigo gastar tempo com ela para preparar os doces, as lembrancinhas, as fantasias e todos os detalhes antes e depois da festa.

Não quero apenas dar um beijo nela e falar que a amo muito e absurdamente muito. Enquanto nos outros dias não consigo nem apenas enxerga-lá pela minha rotina alucinante, doentia e “justificável”.

Não quero apenas leva-lá para passear no shopping, ir ao cinema [com pipoca salgada e doce ao mesmo tempo] e depois no parque de diversões. Se não largo meu celular e WhatsApp durante nossas “simples, mas deliciosas” brincadeiras na sala de casa.

Não quero apenas preparar o especial café de aniversário e levar na cama dela para comermos juntos. Se não tenho tempo para também almoçar, jantar, brincar, correr e viver ao seu lado, além do dia do seu aniversário.

Não quero apenas leva-lá e busca-lá na escola para durante o caminho cantarmos juntos nossas músicas no carro. Se não consigo transmitir que na verdade sempre estarei pronto para levá-la, buscá-la, levá-la novamente e buscá-la novamente em seus caminhos.

Não, não quero! 

Quando vejo minha filha completar 5 anos de idade, fico pensando que, na verdade, espero que ela perceba que seus pais a amam absurdamente. Espero que ela sinta esse amor, não apenas um ou dois dias do ano, mas todos os dias de sua vida. Desejo que ela descubra que nosso maior presente na verdade não se abre com papel de embrulho, mas sim com os abraços abertos que se sente com o coração, todos os dias. Presente que fala, abraça, chora, sorri, corre, apoia, gargalha e também diz: “filha, parabéns pelo seu aniversário!”.

© André Saldiba

Categorias

Textos
André Saldiba
André Saldiba

André Saldiba

André Saldiba casado com Adriana e pai da Luiza; graduado em Direito pela Universidade Paulista de São Paulo, mestre em Divindade pelo Seminário Teológico Servo de Cristo de São Paulo; pastor da Igreja Batista de Água Branca, em São Paulo; idealizador do movimento Alegria no Caos.